Balanço divulgado nesta terça-feira mostra tentativa de barrar 2,6 mil candidatos, no total

O Ministério Público Eleitoral (MPE) impugnou 749 candidaturas nas eleições de 2018 com o argumento de que elas descumpriam a Lei da Ficha Limpa. Balanço divulgado nesta terça-feira pelo órgão destaca que, ao todo, o Ministério Público tenta barrar 2.636 registros de candidatura, o equivalente a 9,1% do total de inscritos na disputa.

Os casos impugnados com base na Lei da Ficha Limpa representam 28,4% das ações do MP. Dentre os casos enquadrados na Lei estão o de 278 candidatos condenados por órgão colegiado do judiciário, no caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que teve o pedido de candidatura negado pelo Superior Tribunal Eleitoral (TSE).

Há mais 174 impugnações com base na Lei da Ficha Limpa que tiveram o argumento da rejeição das contas públicas por tribunais de contas. Nesse caso, O MPE, contou com o auxílio do Tribunal de Contas da União (TCU) para identificar políticos que queriam concorrer de forma irregular.

Fora dessa lei especificamente, o MPE ainda destaca a realização de 105 impugnações com base em regularidades partidárias. Entre essas contestações, estão a de partidos que não cumpriram a cota mínima de 30% de mulheres indicadas para a disputa eleitoral.

O MPE não informou quantos candidatos foram efetivamente barrados na ação. O orgão destacou que continua atuando em recursos de alguns casos.

 

 

 

Deixe uma resposta