Para combater o tráfico de animais silvestres no município, a fiscalização será aumentada

Na noite da última segunda-feira (13), por meio da Guarda Ambiental,  a secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Barra Mansa, resgatou 28 pássaros silvestres, gaiolas vazias e armadilhas, em uma residência no bairro São Pedro. O infrator, que foi conduzido para 90° DP, pode ser enquadrado na Lei Ambiental que condena maus tratos aos animais, podendo pegar de seis meses a um ano de detenção, além de multa.

Jeniffer Melgaço, gerente de Fiscalização Ambiental, relatou que a ação ocorreu após uma denúncia anônima de maus tratos a um cachorro. Ao verificar a denúncia, técnicos do órgão avistaram que em outra casa havia muitos pássaros em gaiolas.  A Polícia Militar foi acionada para prestar apoio à operação de captura das aves e a condução do proprietário da residência à delegacia.

Foram encontradas diversas espécies, no cativeiro, incluindo algumas com risco de entrarem em extinção, como o galinho-da-serra, pintassilgo, azulão, corrupião e bico-de-pimenta. “Esses tipos estão na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional Para Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), ou seja, necessitam de medidas de conservação para que não entrem em extinção na natureza”, alertou Jeniffer

Ela também comunicou o estado de saúde e higiene o qual os animais foram encontrados. “O local onde estavam as gaiolas com os pássaros estava extremamente sujo, inclusive com a presença de ratos e baratas. Algumas aves tinham sinais de maus tratos com deficiência visual, feridas, falta de membros e penas e fungos nas patas”, relatou a gerente

Os pássaros estão sob os olhares da Guarda Ambiental na Secretaria de Meio Ambiente. Os técnicos e veteninários da Vigilância em Saúde Ambiental fizeram a identificação das aves e exames primários para analisar o estado de saúde dos animais. Depois que essa etapa for concluída, os animais serão encaminhados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres, em Seropédica/RJ, para uma melhor recuperação e posteriormente serem introduzidos ao meio ambiente.

Carlos Roberto de Carvalho, secretário de Meio Ambiente, enfatizou que, segundo a Lei nº 9.605 artigo 29: Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente é crime. De acordo com ele, a apreensão desses animais pode causar desequilíbrio natural.  “Cada pequeno animal tem sua função específica na natureza e a sua ausência causa prejuízos para a comunidade em geral”, disse o secretário.

DENÚNCIAS – Denúncias de maus tratos aos animais podem ser feitas de forma anônima na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, através do telefone (24) 2106-3408, de segunda a sexta-feira, das 08h às 17 horas. Aos sábados, domingos e feriados e após 17 horas, elas são recebidas pelo telefone (24) 3322-7817.

Fonte: Jornalismo PMBM

Fotos: Chico de Assis

Deixe uma resposta