Adolescentes devem ter entre 15 a 18 anos incompletos para receberem a “bolsa aprendizagem”.

Doze adolescentes amparados pela Fundação Beatriz Gama (FBG) e indicados pela Vara da Infância do Tribunal de Justiça começam a realizar suas atividades na prefeitura através do Programa Educando Adolescente Assistido (PEAA), na próxima segunda-feira, dia 22. O anúncio foi feito nessa quinta-feira, dia 18, durante uma reunião realizada no auditório da prefeitura entre os beneficiados e a Fundação Beatriz Gama. De acordo com Rodrigo Santos, coordenador de projetos da FBG, o programa será implantado nos seguintes setores: Hospital Municipal Munir Rafful  e São João Batista, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Volta Redonda (IPPU), Defesa Civil, além das secretarias de Governo, Finanças, Planejamento, Saúde e Políticas Publicas para as Mulheres.

O coordenador ainda afirmou que: “Esse ano estamos fazendo algumas alterações no programa. O monitoramento será maior e também iremos medir a evolução do programa e dos adolescentes assistidos. As sextas-feiras, por exemplo, eles participarão de cursos e palestras na sede da FBG. Nosso objetivo é de promover a capacitação para inserir esses adolescentes no mercado de trabalho no futuro”. Para a presidente do FGB, Claudia Moreira Dornellas, o PEAA tem como objetivo promover qualificação e formação profissional, considerando que os adolescentes amparados tinham muita dificuldade de ingressar no mercado de trabalho.  “Através desse programa queremos introduzir valores como pontualidade, assiduidade, responsabilidade, higiene pessoal e convivência social”, disse a presidente.

Todos os adolescentes que participam do programa recebem uma “Bolsa Aprendizagem” e devem ter entre 15 a 18 anos incompletos.  A participação no programa está vinculada a matrícula escolar e na avaliação periódica pelas partes envolvidas  (Setor pedagógico da FBG e Secretarias Municipais)

Deixe uma resposta