Projeto visa capacitar servidores públicos e é uma parceria com Tribunal de Contas do Estado e Controlaria Geral da União.

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, lançou oficialmente nesta segunda-feira, dia 24, o projeto “Escola de Governo”, que visa capacitar os funcionários públicos municipais. O primeiro curso aconteceu na UFF (Universidade Federal Fluminense), no campus do Aterrado, com tema ‘Contrato Administrativo, Termos de Parceria e Convênios’. Com 32 horas, o curso acontece até sexta-feira, dia 28, com 58 alunos (servidores).

“A capacitação dos servidores é um compromisso do nosso Plano de Governo. Esse é a primeira etapa. O interessante é que estamos recebendo servidores de outras cidades como Vassouras, Pinheiral e Barra do Pirai. O conhecimento nunca é demais”, disse o prefeito de Volta Redonda, que foi aplaudido pelos servidores públicos.

O secretário municipal de Planejamento, Júlio César de Abreu, um dos idealizadores do projeto, contou que o “Escola de Governo” só foi possível também depois de uma parceria com TCE-RJ (Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro) e CGU (Controladoria Geral da União). “A escola já é uma referência regional, uma vez que os cursos oferecidos pelo TCE fazem de Volta Redonda um polo de formação itinerante no Sul Fluminense”, disse Abreu.

O calendário geral das atividades inclui oficinas, cursos e palestras que oferecerá três mil vagas para a qualificação do funcionalismo em 2017.“Isso tudo sem nenhum custo para o município, que utilizará uma estrutura de instituições parceiras como a UFF, UGB (Centro Universitário Geraldo Di Biase) e IFRJ (Instituto Federal do Rio de Janeiro)”, comentou o secretário municipal. O próximo curso será sobre Licitação e as inscrições começarão na semana que vem.

A ideia do prefeito Samuca Silva é que a Escola de Governo seja instalada, definitivamente, no prédio da antiga Escola Estadual Acre, no bairro Sideropolis. “Vamos municipalizar o prédio e utilizá-lo como a ‘Escola de Governo’. Teremos, assim, toda a estrutura para a capacitação dos servidores públicos”, finalizou o chefe do Executivo.

Deixe uma resposta