Comemoração será realizada nesta quinta-feira, 13 de julho, e contará com palestra a apresentação musical

Os 169 anos de elevação de Resende, da categoria de vila à condição de cidade, serão comemorados nesta quinta-feira, dia 13 de julho, com uma programação especial a ser realizada na sede da Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda, no Centro Histórico da cidade. O evento, organizado pelo Arquivo Histórico Municipal, contará com a presença de autoridades e estudantes, além de escoteiros do grupo Guia Lopes, que representarão a Guarda Nacional – corporação que existia em 1848, ano da elevação.

O ato cívico, de acordo com a programação, terá início às 10 da manhã, com a execução, pela Banda Sinfônica da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) do Hino Nacional e do Hino a Resende. Logo após, alunos da Escola Municipal Maria Dulce Freire Chaves farão uma encenação do ato histórico ocorrido no dia 13 de julho de 1848, com a leitura do Decreto de Elevação. A seguir, o presidente da Academia Resendense de História (ARDHIS), Marcos Cotrim Barcellos, que também é professor de filosofia e doutor em histórica, falará aos presentes sobre a importância da data.

O evento será encerrado com uma apresentação especial dos alunos do curso de violino do projeto A Música Venceu da Orquestra Bachiana de São Paulo, regida pelo maestro João Carlos Martins. Os alunos se apresentarão na sacada do Paço Municipal. Atualmente, 78 pessoas participam do projeto, cujas aulas, gratuitas, são ministradas na Escola das Artes Vicente Aniceto Sena, na Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda.

Poemas pela Casa

Já nesta quarta-feira, dia 12, às 19h, será realizado, também na sede da Fundação Casa da Cultura, o evento Poemas pela Casa – um sarau poético com a participação dos alunos do curso de teatro da Escola das Artes, que marcará o encerramento do primeiro semestre.

Durante o sarau, os alunos percorrerão os diversos espaços do prédio histórico, como a escadaria e o salão nobre, recitando textos e poemas de grandes nomes da literatura mundial como Fernando Pessoa, José Saramago, Eduardo Galeano, Clarice Lispector, Cora Coralina, Florbela Espanca, Vinícius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade, entre outros.

Deixe uma resposta