Viabilizar recursos para cidade e renegociar dívidas do Governo Municipal estiveram dentro das principias pautas

O prefeito Samuca Silva, esteve nesta semana em Brasília para conquistar recursos e renegociar dívidas de Volta Redonda com a União. O primeiro compromisso foi na Caixa Econômica Federal (CEF) com o vice-presidente coorporativo para novas áreas para investimento do banco federal, Antônio Carlos Ferreira.

“Viemos atrás de apoio na área de esporte numa maneira geral. Agora, temos o dever de casa de elaborar o projeto para ser entregue à Caixa Econômica, mas já há sinalização para ampliação dos projetos e parcerias na cidade”, disse Samuca Silva, ressaltando a reabertura do financiamento do programa “Minha Casa, Minha Vida” que foi anunciado nesta quinta-feira, dia 23, na Capital Federal.

“Hoje (quinta-feira, dia 23) a União deve anunciou a liberação do programa ‘Minha Casa, Minha Vida 3 – faixa 1’. Isso é uma ótima notícia para a população de Volta Redonda e também para o setor da construção civil que vai gerar empregos e movimenta a economia, além de proporcionar aos usuários do aluguel social a oportunidade da moradia própria. Agora, precisamos de parcerias com as construtoras para realizar as obras”.

 

SAMUCA QUER RENEGOCIAR R$200 MILHÕES COM A RECEITA

Nesta viagem, Samuca Silva também esteve com o líder do governo na Câmara Federal, deputado André Moura. Eles falaram sobre a dívida do Governo de Volta Redonda com o INSS (Instituto Nacional de Seguro Social), que chega a marca de R$ 200 milhões.

“Temos a necessidade urgente de renegociarmos a dívida. Atualmente, há uma medida provisória que diz que a dívida pode ser parcela em até 120 meses e com 50% de entrada. Isso inviabiliza qualquer negociação para Volta Redonda. Mas, o André Moura (deputado) nos garantiu que, em abril deste ano, o Governo Federal enviará uma nova medida provisória aumentando para 240 meses o parcelamento com o INSS, com apenas 1% de entrada. Fizemos contato com a Receita Federal e estamos atentos ao assunto”, comentou o prefeito.

Ele lembrou que o município já conseguiu sair da dívida do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviços). “Preciso agradecer aos vereadores de Volta Redonda, pela aprovação do projeto de lei. O próximo passo é essa dívida com INSS. Desta forma, Volta Redonda, não estará mais negativado. Isso é de extrema importância para a cidade voltar a ter acesso a verbas federais e assim aumentar a capacidade de investimento”, disse.

ENCONTRO COM O SENADOR ÁLVARO DIAS

Samuca Silva também teve agenda com o senador Álvaro Dias, (PV) do Paraná, para tratar de assuntos estratégicos. “Ele é sempre muito solista conosco. Com ele, nós colocamos a bandeira de Volta Redonda no Senado Federal, embora tenhamos ótimos relacionamentos com os senadores da bancada do Estado do Rio de Janeiro. Álvaro Dias é mais um para nos ajudar na busca de recursos e parcerias para Volta Redonda” , comentou o prefeito.

O prefeito visitou também parlamentares do estado do Rio de Janeiro para conquistar emendas para a agricultura de fomento, turismo, saúde, esporte. “Essas áreas já estão com recebendo projetos dos governos municipais. Já orientamos nosso escritório de negócios, reformulado no nosso governo, a trazer receita para o município”, disse.

 

CAPACITAÇÃO DE ENFERMEIROS

Numa outra agenda em Brasília, Samuca visitou a sede do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), para tratar de parceria com o órgão, que viabilizem   capacitação dos profissionais da área de saúde. “Quero reafirmar o meu compromisso com os profissionais da enfermagem. Foi uma agenda muito positiva de parcerias na área de capacitação profissional para o segundo semestre. Temos boas noticias”.

 

ASFALTO DE VOLTA REDONDA

Um problema grave da cidade é a questão do asfalto. Isso também foi tratado pelo prefeito. Ele informou que o Ministério das Cidades abriu uma linha orçamentária para o financiamento de asfaltos do município. “Isso é uma grande notícia para Volta Redonda. Atualmente, a prefeitura não tem um contrato com nenhuma empresa e nem uma fábrica de asfalto, além da licitação ser complexa e demorada”,explicou o prefeito, que continuou:

“Já estamos amenizando o problema, fazendo intervenções mais urgentes para melhorar as condições de trafego. Na semana passada, estivemos na secretaria Estadual de Obras para tratar deste assunto também, mas sabemos da atual condição financeira do Estado do Rio e estamos buscando outras alternativas”.

Por fim, mais uma outra boa notícia que Samuca Silva conquistou em  Brasília diz respeito ao projeto ‘Segundo Tempo’. A previsão era que em maio, o projeto iria terminar em Volta Redonda, mas houve alteração. “O programa vai continuar na cidade. Isso vai beneficiar os professores e a própria população”, finalizou o prefeito de Volta Redonda.

Deixe uma resposta