Projeto disponibiliza 160 vagas a cada temporada

O projeto Piloto Cidadão teve início nesta quarta-feira, dia 07, na Arena Kartódromo Internacional de Volta Redonda. Cerca de 60 crianças e adolescentes atendidos pelo CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) dos bairros Padre Josimo e Belo Horizonte participaram da primeira aula, que contou com a presença do vice-prefeito e secretário de Ação Comunitário de Volta Redonda, Maycon Abrantes.

 

Encantados com a possibilidade de aprender um novo esporte, os alunos ouviram o instrutor apresentar os equipamentos e falar sobre segurança e disciplina. Macacão, luvas, capacete, balaclava (touca que fica por baixo do capacete), protetor de costela, reforço para cabeça e pescoço. Tudo era novidade.  “Finalmente! Desde o ano retrasado que eu queria participar das aulas, mas não conseguia, só o meu irmão que conseguiu, mas agora deu certo. Eu estou aqui e estou muito feliz”, disse Pâmela Fernanda de Oliveira, de 11 anos, moradora do Padre Josimo.

 

O projeto disponibiliza 160 vagas a cada temporada, que dura em média seis semanas. É aberto a qualquer criança ou adolescente do município, dentro da faixa definida pela organização. Destas 160 vagas, 60 são direcionadas aos assistidos pelos serviços dos CRAS.

 

Para o crescimento, tanto pessoal quanto para a vida, estas aulas no kart ajudam muito na formação dos jovens. Aqui eles têm oportunidade de conhecer outras pessoas e outras realidades. Podem desenvolver cidadania, disciplina, entendimento e respeito pelos outros”, afirmou Cenir Fernandes dos Santos, orientadora social do CRAS Padre Josimo, que acompanha as aulas há três anos.

 

Para o instrutor Carlos Vinícius, cada temporada é um aprendizado “Todos percebemos o brilho nos olhos dos meninos e isso não tem variação nenhuma entre os meninos dos CRAS e ou os outros que chegam aqui de outros lugares da cidade. Todos chegam muito felizes, realizando um sonho”, disse.

 

Maycon vê com alegria este entusiasmo de crianças e jovens. “Não importa, neste momento, se eles pensam em um dia seguir neste esporte. O importante é que aqui, interagindo com tantos outros meninos e meninas de culturas diferentes, mas com esta paixão em comum, há o enriquecimento de pessoas e isso é muito bom. O esporte une as pessoas”, concluiu o vice-prefeito.

 

Deixe uma resposta