Iniciativa retirou 25 toneladas de lixo eletrônico da natureza, desse total, sete toneladas foram comercializadas para empresas especializadas em reuso

A Prefeitura de Barra Mansa, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, está demonstrando que é possível transformar lixo eletrônico em renda. Prova disso é que a Coopcat (Cooperativa de Catadores de Barra Mansa) e a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) receberam nesta quinta-feira (04), os cheques referentes à comercialização do lixo eletrônico recolhido no período de 2 a 5 de agosto deste ano, através do Programa Descarte Solidário, iniciativa desenvolvida em parceria com o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) e o Rotary Clube de Barra Mansa e Volta Redonda. A cerimônia de entrega dos valores foi realizada no Rotary Club, situado à rua Rotary Club, 26 – Ano Bom – Barra Mansa.

Segundo o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Carlos Roberto de Carvalho, o programa viabilizou a retirada da natureza de 25 toneladas de lixo eletrônico, como aparelhos de TVS, DVDs, vídeos cassetes, ventiladores e equipamentos de som. Desse total, sete toneladas de material, considerados nobres, foram comercializados para empresas especializadas em reuso.

– Na época, instituímos ecopontos em vários bairros e distritos, favorecendo a população para o descarte correto dos eletrônicos. Além de transformamos esse tipo de material em fonte de trabalho e renda, conseguimos evitar que o lixo eletrônico fosse, provavelmente, descartados às margens dos rios e vias públicas – explicou o secretário.

No evento, a direção do Rotary Club lembrou que o programa também tem caráter educacional. “Quando se promove ações como essa, envolvemos toda a sociedade, assim ela se torna parte desse processo de educação e conscientização acerca da maneira correta de descartar não somente o lixo eletrônico, mas também o lixo doméstico e empresarial”.

Deixe uma resposta