Município recebeu 30 mil doses da vacina na terça-feira; outras 50 mil doses estão previstas para chegar nesta quarta-feira. Meta é vacinar 120 mil pessoas

A Secretaria de Saúde de Barra Mansa contabilizou o número de pessoas vacinadas contra a febre amarela. Em dois dias da ação de enfreamento ostensivo à doença (15 e 16/01) foram totalizadas 18.040 doses de vacinas aplicadas. Para atender a demanda do município, a Secretaria Estadual de Saúde enviou nesta terça-feira ao município 30 mil doses da vacina. Outras 50 mil doses são esperadas nesta quarta-feira. A meta é imunizar em dose única 120 mil pessoas.

A procura pela vacinação tem sido crescente. Na opinião da coordenadora do Setor de Imunização da Secretaria de Saúde, Marlene Fialho, a busca pela vacina é extremamente positiva. “Queremos atingir 100% da nossa meta e deixar Barra Mansa livre de riscos de febre amarela. Para isto, é importante que as pessoas procurem a unidade de saúde mais próxima de sua residência”, detalhou Marlene.

 

Além dos distritos, a vacinação está sendo realizada em todas as unidades de saúde do município, entre 8 e 17 horas. Na UBS do bairro São Vicente as doses foram disponibilizadas a partir desta quarta-feira (17). Nas Sirenes da Boa Sorte, Vila Nova e 9 de Abril, o serviço acontece até às 20 horas. Para atender quem trabalha durante o dia a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) fez na segunda-feira a vacinação de 17 horas até a meia noite. Com o aumento da procura, a vacinação foi transferida para o térreo do Centro Administrativo Municipal Prefeito Luiz Amaral, no mesmo horário. Moradores de outros municípios que estão em Barra Mansa por férias ou outros motivos também estão sendo imunizados.

BLOQUEIO VACINAL –  Durante toda a semana seguem as ações da barreira epidemiológica criada no distrito de Nossa Senhora do Amparo, local que faz divisa coma cidade de Valença, onde foram registrados óbitos pela doença.  Numa operação conjunta das Secretarias de Saúde, Desenvolvimento Rural, Meio Ambiente e a Guarda Municipal, motoristas que trafegam pela RJ 153 – Rodovia Gecy Vieira Gonçalves, estrada que liga Amparo a Valença, estão sendo abordados, informados acerca dos riscos da febre amarela e encaminhados à Unidade de Saúde local.

 

DOSES APLICADAS NAS UBS

VALE DO PARAÍBA – 200

VILA ORLANDÉLIA – 400

GETÚLIO VARGAS – 224

PITEIRAS – 400

MONTE CRISTO – 200

ROSELÂNDIA – 450

JARDIM PRIMAVERA – 237

SÃO PEDRO – 325

SANTA LÚCIA – 220

SANTA CLARA – 350

SÃO LUIZ – 130

BOA SORTE – 550

CLINICA DA FAMÍLIA E UBS LOTEAMENTO SOFIA (VISTA ALEGRE) – 298

VISTA ALEGRE – 290

LOTEAMENTO BELO HORIZONTE – 403

JARDIM CARUSO  (BOA VISTA) – 528

PARAÍSO DE CIMA – 215

PARAÍSO DE BAIXO – 215

VILA ELMIRA – 310

SANTA RITA DE FÁTIMA – 323

BOA VISTA II – 177

MANGUEIRA – 253

SÃO JUDAS TADEU – 57

CENTRO – 853

VILA DELGADO – 260

VILA PRINCIPAL – 121

9 DE ABRIL – 907

SÃO FRANCISCO DE ASSIS – 181

SIDERLÂNDIA – 166

VILA CORINGA I – 451

VILA CORINGA II – 210

SAUDADE – 240

VILA MARIA I – 261

VILA MARIA II – 230

SANTA RITA DE CÁSSIA – 127

NOSSA SENHORA DO AMPARO – 537

VILA NOVA- 780

FLORIANO – 400

VILA INDEPENDÊNCIA – 150

VILA URSULINO – 263

BOCAININHA – 288

COLÔNIA – 258

UBS COLÔNIA – 56

RIALTO – 197

PRÉ-SAÚDE (UBM) – 768

KM 4 – 145

COTIARA – 132

UPA – 750

TERREO DA PMBM – 1988

ÁREA RURAL – 215

TENDA ITINERANTE DE AMPARO – 429 

 

Confirmação de mortes por febre amarela no Estado aumenta a procura pela vacinação

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro confirmou na noite da última segunda-feira, mais dois casos de febre amarela em humanos no Estado do Rio de Janeiro em 2018. Dois moradores de Valença, no Sul Fluminense morreram após contraírem a doença. O resultado foi confirmado após exames laboratoriais realizados pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Assim, já são quatro casos da doença no estado em 2018, até o momento: três em Valença, sendo duas mortes, e mais um óbito em Teresópolis.

Os casos da doença registrados até o momento no estado do Rio são do tipo silvestre, transmitido pelas espécies de mosquito Haemagogus e Sabeths, presentes em áreas de mata. Não há registro da forma urbana da doença, transmitida pelo Aedes aegypti, desde 1942 no país.

Prevenção para quem não pode tomar a vacina

A dose de vacina contra a febre amarela não de ser aplicada em gestantes, mulheres que estão amamentando bebês menores de seis meses de idade, pacientes com HIV e outras doenças imunológicas, pessoas com alergia a ovo e com imunossupressão secundária (baixa imunidade) e em tratamento de quimioterapia e radioterapia.

Para a Proteção a bebês com menos de nove meses e pessoas que não podem tomar a vacina, a  Fiocruz e o Ministério da Saúde recomendam o uso de repelentes, telas de mosquito, blusas de manga comprida e calças, além da manutenção de portas e janelas fechadas.  Nos casos de viagem para área de risco, deve ser analisada a possibilidade de adiamento.

Vale lembrar que o repelente é contraindicado para crianças menores de seis meses, que devem ser mantidas todo o tempo em ambientes protegidos por telas e mosquiteiros.

Fotos: Chico de Assis

Deixe uma resposta